Na senda das tertúlias de antigamente, estes serão encontros informais, para conversarmos sobre livros e leituras, para lermos em voz alta, para ligarmos a literatura a outras artes. Enfim, para partilharmos emoções, palavras, experiências.

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Continuamos com Eça de Queirós



Ontem, após a conversa acerca d' O Mistério da Estrada de Sintra (aqui o trailer do filme de Jorge Paixão da Costa, de que falámos) resolvemos continuar com a leitura das obras de Eça de Queirós!
A quem tiver pouco tempo, aconselhamos:

                                                     

Para quem quiser apreciar mais demoradamente a prosa queirosiana, aqui ficam várias sugestões:

                   

             

          



O nosso próximo encontro é a 11 de Dezembro, às 21:00. Juntem-se nós!

terça-feira, 12 de novembro de 2013

20 de Novembro O MISTÉRIO DA ESTRADA DE SINTRA

Na próxima quarta-feira, 20 de Novembro, às 21:00,  regressamos às leituras partilhadas, com O Mistério da Estrada de Sintra, de Eça de Queirós e Ramalho Ortigão.

                                            

"Naquele que é justamente considerado o primeiro romance policial português, conta-se a história de um médico que regressa de Sintra acompanhado por um amigo. A meio do caminho, ambos são raptados por um grupo de mascarados, que os levam para um prédio isolado onde aparecera um homem morto. A partir daí, os acontecimentos sucedem-se em catadupa. Quem é o morto e quem o matou? E porquê? Quem era a mulher com quem ele se encontrava, e quem são os mascarados que pretendem proteger a sua honra? A história foi publicada no Diário de Notícias entre Julho e Setembro de 1870 sob a forma de cartas anónimas, e foram muitos os que se assustaram com os acontecimentos narrados. Só no final é que Eça de Queirós e Ramalho Ortigão admitiram tratar-se de uma brincadeira e que eram eles os autores das cartas.

O Mistério da Estrada de Sintra foi publicado em forma de livro nesse mesmo ano. Em 1885, houve uma segunda edição revista por Eça de Queirós, que é a utilizada na presente edição."
                                                                                         in www.bertrand.pt

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Primeiro Encontro da Terceira Temporada de Leitura


                                  


Em Outubro, já na nova casa (provisória), retomámos os encontros em redor dos livros. Como já é hábito, após a pausa estival, falámos do que lemos durante as férias. Aqui vai a lista deste ano:

Os Maias, Eça de Queirós.

A coleção Eça Agora, editada pelo Expresso.

Madrugada Suja, Miguel Sousa Tavares.

O Prisioneiro do Céu, Carlos Ruiz Zafón.

O Testamento de Maria, Colm Tóibín.

Fanny Owen, Agustina Bessa-Luís.

A Conquista do Sertão, Guilherme de Ayala Monteiro.

Uma Criança em Perigo, Tory Hayden.

O Alto dos Vendavais, Emily Brontë.

Em Busca do Tempo Perdido I, Marcel Proust (trad. Pedro Támen).

A Man without Breath, Philip Kerr.

The English Girl, Daniel Silva.

Delicate Truth, John le Carré.

Inferno, Dan Brown.

O Último Papa, Luís Miguel Rocha.

Dorian: An Imitation, Will Self.

Stoner, John Williams.

A Game of Thrones, George R. R. Martin.

O Museu da Inocência, Omar Pamuk.

Jesus Cristo Bebia Cerveja, Afonso Cruz.

Deixem Falar as Pedras, David Machado.

A Vida no Céu, José Eduardo Agualusa.

A Minha Pequena Livraria, Wendy Welch.

MarinaCarlos Ruiz Zafón.

O Boticário do Rei, Jean-Christophe Rufin.

O nosso Icebergue está a derreter, John Kotter.

Viagens, Paul Bowles.

Em Viagem: De Uma Alemanha à Outra, Günter Grass.

Esperamos que estes títulos vos abram o apetite para muitas leituras partilhadas! 









quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Foi assim o nosso jantar!

Literalmente ‘raptado’ da Capela da Misericórdia de Sines, após uma magnífica conversa com Joaquim Gonçalves, grande livreiro, directamente para a sede da Quadriculturativemos o privilégio de ter connosco o Afonso Cruz que teve a amabilidade de partilhar com esta pequena comunidade de leitores último encontro da temporada, em que convivemos à volta da mesa num jantar literário.



Como é habitual, todos participaram com saborosas iguarias cuja fonte de inspiração literária é transmitida em momentos de partilha verdadeiramente enriquecedores.


Especialmente para que Afonso Cruz se sentisse um pouco ‘em casa’ não faltou na mesa o borrego assado, a sopa dourada, vinhos e doçaria conventual tal como no banquete e Última Ceia da encenação preparada para a velha Antónia, numa das passagens mais criativas e hilariantes do seu livro Jesus Cristo Bebia Cerveja.














A personalidade do Afonso Cruz encantou-nos com as suas experiências literárias, com a sua visão da vida e das coisas de uma forma lúcida e profunda e contudo traduzida com uma imensa simplicidade de pensamento e de palavras.

O serão estendeu-se bem para lá da meia-noite, mas pareceu-nos demasiado curto!



 

Não resisto a transcrever as suas próprias palavras:

 

Ao comer enquanto se conversa, dá-se carne às palavrase elas ganham corpo. A comida entra-nos no estômago ensopada em histórias. Há um casamento das palavras com a salada, das histórias com o bife, das conversas com o vinho ….

 

 foi assim o nosso jantar.


Isabel Borges Alves

 


 

quarta-feira, 17 de julho de 2013

Jantar Literário com a presença de Afonso Cruz

Chegámos ao nosso 20º encontro! Ao longo destes quase dois anos de Quartas com Letras, partilhámos o prazer da leitura e saboreámos as palavras de muitos autores portugueses e estrangeiros. Agora que as férias estão a chegar, antes da nossa pausa de Agosto, gostaríamos de vos convidar para um encontro diferente, em que uniremos o gosto pela leitura ao prazer da boa mesa, num Jantar Literário, no dia 27 de Julho de 2012 2013 (desculpem o lapso! Obrigada à Teresa Furtado  por me avisar), às 20:00, na sede da Quadricultura, mas desta vez com um convidado especial,Afonso Cruz, de quem falámos no nosso último encontro:

à mesa com Afonso Cruz
Tragam as vossas leituras de Afonso Cruz e à semelhança do ano passado, cada participante deverá também trazer um petisco gastronómico e, se possível, outro literário (poema, conto, crónica, excerto ou livro que fale de comida) para partilhar com os restantes tertulianos. De modo a podermos construir um verdadeiro menú literário - com entradas, pratos principais, sobremesas, bebidas, etc - que consubstancie a memória deste nosso encontro, pedíamos o favor, e agradecíamos desde já, que confirmassem a vossa presença e nos informassem acerca do que trarão. Se tiverem dúvidas, ou vos faltar a inspiração, não hesitem em contactar-nos através do seguinte contacto: paula.cusati@gmail.com . 

Nesse mesmo dia, às 17:00, Afonso Cruz estará em Sines, num dos Encontros com Escritores organizados pela livraria a das artes em parceria com a Câmara Municipal de Sines, no âmbito das atividades paralelas do Festival Músicas do Mundo.



sexta-feira, 7 de junho de 2013

Afonso Cruz

No dia 19 de Junho às 20:30, voltaremos a encontrar-nos para falarmos dos livros do escritor, ilustrador e músico (e homem dos sete ofícios!) Afonso Cruz
Na livraria A das Artes ou nas bibliotecas municipais dos concelhos do Litoral Alentejano  encontrará os livros do autor:
      

   

  
    

terça-feira, 7 de maio de 2013

Próximo Encontro: Nuno Camarneiro

A 29 de Maio iremos falar de Nuno Camarneiro.


 O escritor e investigador, licenciado em Engenharia Física pela Universidade de Coimbra e doutorado em Ciência Aplicada ao Património Cultural, em Florença, receberá amanhã o Prémio LeYa 2012, pelo romance Debaixo de algum céu.



O júri justifica a atribuição, por exemplo, pela escrita que "é precisa e flui sem ceder à facilidade, mas reflectindo a consciência de um jogo entre o desejo de chegar ao seu destinatário, o leitor, e um recurso mínimo a artifícios retóricos em que só uma sensibilidade poética eleva e salva a banalidade e os limites do quotidiano". 

Pode ver aqui uma entrevista ao autor no programa Bairro Alto, da RTP2. 

Nuno Camarneiro estreou-se no romance, em 2011, com No meu peito não cabem pássaros


Poderá ler as primeiras 20 páginas do seu romance de estreia aqui

Nuno Camarneiro mantém ainda o blogue www.acordarumdia.blogspot.com no qual publica a sua poesia e micronarrativa.




Um dia inteiro dedicado a Pessoa

No passado dia 21 de Abril, a nossa Comunidade de Leitores rumou a Lisboa e dedicou inteiramente o dia a Fernando Pessoa.


 De manhã, uma visita guiada à Casa Fernando Pessoa. Um agradecimento especial ao nosso excelente guia!





À tarde, o Itinerário Pessoano.







Um belo dia! De tal forma que já estamos a preparar o nosso próximo Passeio Cultural para o início do mês de Junho. Mais notícias brevemente.


segunda-feira, 29 de abril de 2013

Breve Resumo do Encontro sobre J. Rentes de Carvalho

Breve será, não só porque, passadas já quase duas semanas, a memória certamente me atraiçoará, mas também porque tudo o que acontece nas horas em que falamos de livros, de leituras e de vida, ultrapassa claramente as muitas frases que eu possa agora aqui alinhavar.
No passado dia 17 de Abril, para nos falar de J. Rentes de Carvalho e dos seus livros, tivemos a grande honra de receber Rui Mota, que na Holanda pertenceu à direção da Fundação de Cultura Portuguesa, responsável, entre inúmeras outras atividades de caráter artístico e literário, pela edição da Revista Vertical, entre 1981 e 89, onde o autor deste mês publicou várias crónicas. Aqui vos deixamos uma delas, intitulada "Procissão":



Rui Mota falou-nos dos primeiros livros de J.Rentes de Carvalho: Montedor, O Rebate, Sétima Onda, Com os Holandeses.





Mas não só. Falámos das nossas leituras de:


Resta-nos ler o último romance do autor,  Mentiras & Diamantes, acabado de publicar e que não chegou a tempo deste nosso encontro. Vontade de reencontrar este magnífico escritor não nos falta!

sexta-feira, 5 de abril de 2013

Mais uma entrevista!

Obrigada, querida Ana Nunes, pelo envio desta entrevista a J. Rentes de Carvalho publicada pelo Jornal de Letras!





quinta-feira, 4 de abril de 2013

Breve entrevista a J. Rentes de Carvalho

No blogue da Quetzal, uma breve entrevista ao autor, por ocasião da próxima publicação ( a 12 de Abril) do seu último livro Mentiras & Diamantes.


"Passaram dez anos desde a publicação do seu último romance, A Amante Holandesa. Porquê um hiato tão longo até este Mentiras & Diamantes?
R: Hiato relativo, porque entretanto escrevi outras coisas, um segundo guia de Portugal, um guia de Lisboa e um estudo político social, A Ira de Deus sobre a Holanda, artigos aqui e ali, um ou outro ensaio. Mas acontece que no respeitante à escrita de ficção sou extremamente vagaroso, levanto-me dificuldades, problemas que só na minha cabeça existem. Fora isso sou um crítico embirrento de mim mesmo, o que hoje me parece satisfatório desagrada-me amanhã, emendo sem fim, recomeço não sei quantas vezes. E não vou falar dos romances deixados a meio, nem dos que ficam pelo esqueleto. Felizmente o meu pão-nosso de cada dia não depende da escrita, caso contrário teria um sério problema."

Poderá lê-la na íntegra aqui.

quarta-feira, 20 de março de 2013

J. Rentes de Carvalho e as Quartas com Letras

Uma pequena Comunidade de Leitores reúne mensalmente no Litoral Alentejano desde Novembro de 2011. Chama-se Quartas com Letras e é promovida pela Quadricultura Associação, sem qualquer outro apoio público ou privado.

No próximo dia 17 de Abril, a partir das 20:30, falaremos de J.Rentes de Carvalho.
E não é que o autor descobriu o nosso post anterior e nos mencionou aqui ? http://tempocontado.blogspot.pt . Vejam bem:

Pequeninas coisas

 “São momentos, pequeninas coisas, a alegria simples dos gestos gratuitos, mas tão valiosos.
Nasce o dia cinzento, amorrinhado, de frio e vento cortante, árvores nuas, céu de nuvens negras. O acaso do Google traz-me
aqui. Descobrindo-me vizinho de Fernando Pessoa tenho de sorrir, e de repente o céu parece menos trombudo, adivinha-se nele uma réstia de azul.”

 

Atrevemo-nos a escrever ao escritor:
Caro José Rentes de Carvalho,
 Em nome de todos os participantes das Quartas com Letras, promovidas pela Quadricultura Associação, gostaria de lhe transmitir a grande felicidade e a honra que sentimos ao ver que somos os causadores involuntários dessa alegria, pequenina, mas valiosa.
Ao José (permita-me que o trate assim), um agradecimento sentido, por engrandecer, com as suas obras, uma pequena comunidade de leitores do Litoral Alentejano.
Um abraço,
Paula Cusati

E o grande Rentes de Carvalho respondeu-nos assim:
“Cara Paula,
A alegria mais intensa e valiosa que um escritor pode sentir não é a das vendas ou a do badalar do nome, sim a do testemunho sincero e inesperado dos seus leitores. Graças a Deus nunca me faltaram, mas cada uma que chega traz consigo a alegria da novidade, é como se fosse a primeira, sempre ingénua e boa como as emoções da adolescência.
Assim, sou eu que grato lhe fico, vos fico, pela alegria de pela leitura me sentir acarinhado e convosco.
Abraço para todos.
José”

www.jrentesdecarvalho.com
http://tempocontado.blogspot.com

Para lhe agradecer mais uma vez, deixo as palavras da Isabel Alves, membro da Direção da Quadricultura e principal responsável pela existência das Quartas com Letras, que resume magnificamente o que todos sentimos:
“Termos sido alvo da atenção de um escritor deixa-nos certamente orgulhosos, que divulga a nossa existência é um verdadeiro privilégio, que nos responde com palavras de carinho e humildade nem sei se merecemos tanto! Nestes momentos sinto que tudo faz sentido e que vale verdadeiramente a pena sermos as Quartas com Letras.”

quinta-feira, 14 de março de 2013

Fim do ciclo Pessoano

Com o Livro do Desassossego terminámos hoje os encontros em volta de Fernando Pessoa. Estamos agora a organizar a realização de um Passeio Literário pela Lisboa de Pessoa, bem como uma visita à sua Casa, para o mês de Abril. Inscrições até dia 5 de Abril.

Voltaremos a encontrar-nos a 17 de Abril para lermos em conjunto José Rentes de Carvalho. Escolha a sua leitura de entre os seguintes títulos e junte-se a nós!

  Com os Holandeses de José Rentes de Carvalho